12 de jun de 2008

A Descoberta da Borboleta



Em minha infância, costumava sair para brincar com pessoas que até hoje são importantes para mim, mas as circunstâncias nos separaram. Naquela época, no auge de meus nove anos, nossos problemas mais difíceis se resumiam a decidir qual das várias brincadeiras que gostávamos escolheríamos no dia. Num desses vários dias minhas amigas forma em minha casa chamar a mim e minha irmã para brincar. Nesse dia tomamos um caminho diferente daquele que fazíamos sempre. Em nosso novo caminho descobrimos uma casa recém-construida, simples, muito recuada no terreno e sem um muro que a separasse a rua do jardim. Não tivemos como passar adiante sem parar para admirar tão belo espetáculo de cores e formas. Ao nos aproximarmos do maravilhoso jardim, várias borboletas voaram nos enchendo de um sentimento bom, calmo e ao mesmo tempo emocionante. Observamos por mais algumas frações de segundos e quase que instintivamente entramos no jardim brincamos como se fossemos as borboletas e estas fossem fadas guiando nossa “dança”. Ficamos lá por alguns minutos, sentindo cada segundo de mágica de nossa experiência. Até que, em consenso decidimos por deixar nosso recente paraíso descoberto e seguirmos nosso caminho. Lembro de ter me perguntado o que as borboletas faziam naquele jardim, mas não me lembro de ter descoberto a resposta. A mágica daquele dia nunca nos abandonou e por vários momentos de nossas vidas lembramos saudosas do jardim das borboletas – assim o batizamos nosso secreto mundo de fantasias. Hoje meu mundo mudou as coisas se tornaram mais complexas e os problemas tomaram proporções gigantescas se comparadas aos de minha infância. Me pergunto novamente: O que fazem as borboletas no jardim? O que fazemos no mundo? Naquele dia as borboletas voavam ansiosas pareciam esperar algo que as completassem. Um caçador? Talvez. Mas eu arrisco dizer que esperavam admiradores que as conquistassem, que as fizessem acreditar que viver não é suficiente. E que alguma coisa a mais existe. Das outras vezes que passamos pelo nosso secreto Jardim das Borboletas não tinha mais borboletas e em pouco tempo também não tinha mais jardim. Felizmente ele já tinha sido construído em nosso castelo de sonhos e fantasias onde moram as bruxas, fadas e duendes presentes em nosso mundo infantil. Um castelo onde as borboletas ainda voam valsando a espera das fadas, nosso refúgio particular. Nosso elo secreto.

Tainã Alcântara


[Carol Machado]
ah Tai...que saudades viu!! aff... Esse dia foi perfeito cm mtos outros que passamos juntas, brincando e fantasiando! E era engraçado pq nos sentiamos donas de tudo, logo diziamos que era o nosso paraiso das borboletas..rs Era mto bom!! Daria td pra voltar e viver mto mais intesamente toda a minha infancia! Te amu mto tai e adooorei o texto! Fica uma saudade enooorme!

28/09/2006 22:47

RESPOSTA:
nosso paraíso!! verdade! sabia que tava faltando uma coisa! era o paraíso! agora não falta mais e nosso paraíso das borboletas está completo! lindo! Tenho saudade daquela época tbm! daquele dia principalmente! inesquecível! t amu loh

[Carol]
Primeiro quero dizer que a montagem ficou LINDA, ainda mais que teve meu auxílio moral!uhauhauhauhua Tipo o texto eh muito lindo, mais lindo ainda por saber que aconteceu de verdade, deixa tudo muito mais interessante! Sem querer que vc se sinta mais doque vc ja se sente mas eu adoro o jeito como vc escreve, eh muito difícil ler algo seu que seja entediante e que naum der vontade de terminar, esse texto mesmo eh um exemplo disso e os dois de baixo também, a pessoa fica ansiosa pela próxima palavra, e isso eh muito massa!:)

[Caio Tiago]
Teus problemas não cresceram, apenas você cresceu e mudou a forma de encarar o mundo. Talvez o que esteja faltando para você ver mais borboletas ao teu redor é justamente curtir a tua vida e buscar esse algo a mais. Talvez você precise apenas olhar mais no espelho ou ao teu redor =). Ah... você escreve muitíssimo bem.


[Thiale Moura] [thialemoura@gmail.com]
Tai, belas lembranças, lindas hitórias:D


[ainda Gloria ] [gogodapaz@bol.com]
As borboletas Tainã, simplesmente vivem....

[Anne Barreto]
Tai, lindo texto...engraçado que de tanto vcs falarem disso já viajo junto com vcs...Consegui imaginar vcs nesse jardim! Muito lindo td isso!! A magia da infância é realmente maravilhosa... Parabéns pelo texto, e pelas amigas que tem!! Bjo grande!

Essências da menina de fita no cabelo... Das meninas, aliás!


Um comentário:

Thica disse...

Repito as mesmas minhas palavras citadas no texto:

Belas lembranças, Lindas Historias!