7 de fev de 2008

POEMETO(S) DA (IN)FELICIDADE




"... E foram felizes para sempre",
Meu amor,
Só aos idiotas acontecer sói.
Àquele que se inquieta
Chamam-no pensaDOR.
Porque pensar dói.

(Jairo Sá)



Cansei de esperar que os dias fossem flores
quero o brilho eterno de muitos amores
pensantes, coloridos
felizes ou infelizes
com toda a dor de ser espinho


Tainã Alcântara

3 comentários:

Thiale disse...

A beleza de sentir o nascer e o morrer de cada dia! Com suas alerias e dores, sentir viver e ser!

assim a vida segue sentindo momento de dia!

Carol Sá disse...

Meu deus ta todo mundo tão reflexivo... do post ao comentário!
Eu devo admitir que tive que ler mil vezes a "ida"e a "volta" (se naum entendeu o que eu quis dizer lamento, to tentando ser reflexiva tb :D) que quase me perdi no caminho! (porra agora filosofei). Voltando ao texto (que na verdade em nenhum momento deixei de falar) o do meu "parente"ta massa, mesmo eu tendo que ler umas 10 vezes e o teu tb ficou otimo!
Vcs deviam ganhar um oscar pelo "conjunto da obra"
:**

Tainã Alcântara disse...

Oscar???
ahuahua
Um tanto demais pra mim neh?

mas meu padrinho merece!! =D