21 de out de 2007

Deuses do Tempo


O que são sonhos? Quem são estes seres que aparecem protegidos pela noite enquanto durmo, com rostos tão conhecidos e gestos tão familiares? Que querem me dizer as caricaturas que vejo das coisas que virão?

Com elas tento aprender a assistir meus dias correndo na frente do sol, os momentos quase esquecidos em meu futuro. Rios que transformo em braços de mar, desenhando a tela de minha vida. Recordo dos tons azuis e dos cinzas, dos vermelhos e amarelos; as cores que conservarei ou cobrirei, ora mais fortes e mais intensas, ora, simplesmente, mais eu.

Hoje acordei lembrando de como serão as noites de Junho e os dias de novembro, de como sentirei a tua falta nestes últimos. Consigo enxergar claramente nossa história desenrolando um novelo e transformando-o num entrelaçado de lã sem forma definida que seu significado pareceu confuso para mim. Sei tudo o que acontecerá – já sabia – só não sei no que nos servirá.

Agora não tem mais jeito: nossas linhas vitais já se misturaram e o desfecho será inevitável!

Durmo. Tento me consolar fazendo de conta que não acredito no que vejo. Busco outras alternativas, inserindo em mim memórias falsas de um futuro imprevisível, forçando-me a sonhar com incertezas e acasos. Mas aqueles seres voltam a aparecer, com as mesmas faces e feições já familiares me fazendo recair no futuro e voltar a ter certeza que só meu passado é desconhecido.

Almas mortais que habitam meus sonhos, e os fazem realidades, que realidade torta seria esta desenhada nos dias, meses e anos atrás de mim?

As noites de Junho: umas de céu aberto, outras nubladas, mas todas frias e aconchegantes. Cada uma única em seu jeito, do nosso jeito.

Que faço eu agora? As deixo intactas, mágicas, permanecendo no passado que terei em novembro? Ou... Não sei? Não há mais o que fazer!

Meu mundo agora gira em sentido negativo na contagem regressiva de minhas memórias futuras. Se quero? Ao menos espero! Até que sejam, e caiam na incerteza de meu passado, possibilitando aos meus anjos mortais a seleção do que mereça ou não acontecer.

Tainã Alcântara






Comentários do outro Blog:

[bruna lorena] [brunaloren2005@hotmail.com]
otimo..tão otimo q não tenho cementarios..usdruxilo...
19/07/2007 14:07

[Carol]
Assim, sonho já eh uma coisa muito louca eu tenho uns que pelo amor de deus... se bem que tu me supera legal!rs Mais o mais louco disso tudo é a porra das memórias futuras, naum naum pior ainda é a "amnésia" do passado, e mais louco que isso eh so qdo acontece com alguém de verdade, e não só num texto né Tai?!rs o texto ta lindu! bjus
25/04/2007 09:59

[Caio Tiago]
Uau =).



Esse texto foi escrito em abril e publicado no meu antigo blog. O Junho que o texto fala já é passado. Como eu gosto muito desse texto e achei tão condizente com minha vida de hoje, resolvi republicá-lo. Espero que tenham gostado.




Nenhum comentário: