9 de out de 2007

Contradições


Como uma desilusão superada
Como um mistério desvendado
Como se dinheiro não valesse nada
Como se expressar, não fosse pecado

Como uma solidão acostumada
Como uma criança não curiosa
Como a vontade de querer mais nada
Como se azeitona fosse deliciosa

Assim é a falta que sinto
Da falta que sentia
Está bem melhor o dia
mas não parece a mesma coisa


Tainã Alcântara



Eu nunca te disse
Mas agora saiba
Nunca acaba
Nunca o nosso amor
Da cor do azeviche
Da jabuticaba
E da cor da luz do sol
Eu te amo
Vou dizer que eu te amo
Sim, eu te amo
Minha flor
Eu nunca te disse
Não tem onde caiba
Eu te amo
Sim, eu te amo
Serei pra sempre o teu cantor

Caetano Veloso

5 comentários:

Carol disse...

"Eu te amo
Sim, eu te amo
Serei pra sempre o teu cantor" Mais contraditorio do que as coisas que o seu texto desreve, só a assossiação (powrra, assossiação se escreve assim mesmo?) do seu texto com essa letra de Caetano (que por sinal eh brega... é a vida né?? amor é amor fazer o q... diz a lenda que é pra sempre! uhauaua Como já ahavia lhe dito o texto ficou muito bom!! A parte da azeitona é perfeita!

Caio Tiago disse...

Teu texto é bem melhor que o de Caetano, huaehuae.

=*

lucianosousa disse...

não gosto do caetano, não por ele ser baiano... mas porque é chato mesmo!

e, como disseram, seu texto está melhor que o dele!

Henrique Cartaxo disse...

Mas as azeitonas são deliciosas.

Será que é isso?

Tainã Alcântara disse...

Eu não acho!! rs
Nem o Caetano chato, nem as azeitonas deliciosas.
Agora imaginem você gosta muito, muito, muito de alguem, ou alguma coisa, que não está mais perto. De repente (ou não tão de repente assim) deixa de sentir a falta daquilo que tanto gostava... e passa a sentir falta da falta que você sentia!!!
Estranho né?
Por isso que eu não gosto de azeitonas! ;)