7 de ago de 2007

Perfume





Assim como um bom perfume
Sou composta de três notas

Essências fundamentais


A mais alta, a de saída

Encanta ou enlouquece
E se deixa ser sentida
Logo após ser colocado o perfume

É por esta nota
Que julgam me conhecer
Aqueles que nada sabem de perfumes
Aqueles que nada sabem de mim

O corpo, meu corpo

É a segunda essência
Longa... extensa

Minha


É o que identifica um perfume

E que dura a maior parte do dia

A maior parte da vida
E a maioria das pessoas conhecem
No perfume e em mim


A última essência é conhecida como a nota de fundo
É o que permanece misturado
Ao cheiro da pele da pessoa que usa
No final do dia

É como sou antes de dormir

E na hora de acordar
Essencial, pura, crua
A mais penetrante das notas

Eu

Apenas um cheiro
Transmissor de sensações
Um sentido
O mais humano deles

Essências



Tainã Alcântara

8 comentários:

Anônimo disse...

Assim como um perfume que no momento que é colocado sobre a pele não se deixar desvendar e nem se descobrir, o texto apresenta um sentido de descoberta de uma pessoa. Na verdade é um mergulho de descobertas, de sensações, de setimentos. É a buca da alteridade. Olhar pro outro e reconhecer certos sentimentos de humanidades. Um grande mergulho no mar! Ao ser apresentado a uma pessoa o que se vê é a espuma de um de uma onda na praia. Ao conhecer um perfume e seu sentido, é mergulhar de cabeça no oceano em busca da sua essência, daquilo que é composta, formada o mar.

Anônimo disse...

tai,às vezes nossas escolhas parecem ir no sentido contrário de nossas verdadeiras vontades(nos afastamos dos amigos mais queridos e de nossa familia).sentimos falta de nossa rotina.mas tudo passa. estamos plantando o futuro para que possamos aprofeitá-lo sem pensar no que perdemos.devemos viver isso e ter certeza de que se tudo o que vivemos e as pessoas com quem vivemos forem verdadeiros sempre estarão ao nosso lado não importa o tempo.é por isso que estou aqui e espero que lembres sempre de mim,pois no futuro me dirás essas mesmas palavras. te amo !!! Eduardo Santana / Dudu.

Amon disse...

O mais humano deles? certamente, o cheio, seu, é uma de suas caracteristicas que, realmente, Nós - mortais - não esquecemos. O texto é muito você: volátil,denso e interessante.
Gostei muito.
Nao é necessario desejar sorte para o blog ne?
Bjo grande
^^

Anônimo disse...

É como sou antes de dormir
E na hora de acordar
++++++++++++++++++++++
Acredito que é na hora de dormir que somos mais sinceros e tranparentes, até porque é nessa hora que não conseguimos disfarsar nem mascarar nada em nossa personalidade. Estamos passiveis, sem defesa.
Isso é bom! Até porque, também, nunca irão conhecer quem somos nós em nossas verdadeiras essencias. Percebeu a ironia?

Carol disse...

Vc esqueceu da 4 essência, aquela que eh a mais importante, aquela que pode acabar com um namoro e destruir amizades, aquela essência de qdo o desodorante VENCI!uhauhauhahua
Falando sério agora, eu gostei bastante do texto e devo dizer que minha essência favorita seria a da hora de dormir e de acordar (sem ironias, ate porque naum entendi a ironia que o anônimo 3, o retorno de Jedi, tentou explicar sem sucesso. E naum achu que seja um enorme auto-ego porque na verdade se quisessemos analisar todos os poemas e textos pessoais e subjetivos, poderiamos dizer que todos tem um super auto-ego afinal de contas querendo ou naum usamos experiencias de nossas vidas para escrever, entaum nosso ego(EU) eh levado conosco... sendo assim prefiro analisar um texto literario como minha professora de literatura me ensinou, "nunca afirmar que o autor do texto eh o eu lírico" eu sigo isto muito a risca... adorei o texto Tai! e a foto tb!

Caio Tiago disse...

Ficou motivada novamente a escrever por causa do blog novo, foii?

:P

Beijão Tai, sucesso.

Tainã Alcântara disse...

Parece que sim, né?? rs

Tulio disse...

po... gostei desse ponto de vista =D